Deixe um comentário

7 qualidades de um bom marido cristão

image

Durante a nossa vida vamos passar por dificuldades. Essas dificuldades poderão ser grandes desafios como o desemprego, uma doença ou até um falecimento de um ente querido; por outro lado, poderemos passar por provações diárias que, na sua magnitude, são pequenas, mas, no seu efeito acumulado, poderão criar graves problemas na vida do casal.

É durante as pequenas discussões diárias, durante as irritações por coisas do dia a dia e durante as frustrações do dia de trabalho e da lida da casa, que vamos notar como nós realmente amamos as nossas esposas. Nas nossas reações e ações nós demonstramos como as amamos; por exemplo, estamos tendo uma conversa sobre um assunto de opinião (como política, futebol ou até a educação dos filhos) e entramos em desacordo com as nossas esposas – o que vamos fazer? Vamos elevar as nossas vozes caso ela menospreze o que dissemos? Vamos impor a nossa opinião?

Jesus Cristo disse, em Mateus 4:43-44, o seguinte:

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem.”

Com esta frase eu não estou dizendo que elas são o inimigo, mas, quando nos exaltamos, nós estamos vendo aquela pessoa como um inimigo. Um inimigo é simplesmente aquela pessoa que, naquele momento, nós sentimos que não está nos respeitando – por isso é que nos exaltamos e dizemos coisas que essas pessoas, principalmente as que amamos, não merecem ouvir.

Para nos ajudar a ser melhor companheiros para as nossas esposas (ou futuras esposas) vamos dividir isto em 7 passos:

1. Amar o inimigo

Amar o inimigo significa que vamos dar o que é preciso e não o que achamos que se merece dar. Durante a discussão de um casal o que achamos que a outra pessoa merece é a nossa exaltação e a aceitação de que “nós é que estamos certos”, mas o que essa pessoa pode precisar pode ser algo bem diferente. Ela poderá precisar de carinho, do benefício da dúvida, do reconhecimento de que ela deseja fazer o melhor, entre muitas outras coisas.

2. Fazer algo de bom

Quando nos sentimos ofendidos, até com quem amamos, a última coisa em que normalmente pensamos é em fazer algo bom. O que normalmente acontece é dar o nosso lado frio, ficar na defensiva e até ignorar. Devemos resistir à tentação de fazer essas coisas e podemos superar isso focando em algo que sabemos que elas gostariam que fosse feito – pode ser um simples abraço como até fazer uma tarefa em casa.

3. Orar

Geralmente, as coisas mais simples são as últimas em que pensamos para fazer. Nos momentos de discussão, ou quando existe um clima pesado entre o casal, podemos fazer uma simples oração pela harmonia do casal, mas incluindo sempre a pessoa que amamos – não para mudar o coração dela, mas orar pela sua saúde e pelo seu bem-estar (que depende também de nós).

Devemos orar para que o Senhor nos possa dar as oportunidades para sermos os maridos que elas merecem e, também, podemos orar para que elas sejam ajudadas nas suas fraquezas.

4. Crescer

Fisicamente qualquer adulto é, teoricamente, crescido, mas isso não é sinônimo de se ter maturidade. Devemos entender que ser um homem, um marido, um pai de família, implica que vamos ter de aprender a sacrificar, tolerar alguns erros e fraquezas, e ter de nos esforçar para elevar a nossa família – sempre. Devemos evitar as atitudes infantis e, quando fazemos isso, vamos ver a nossa maturidade intelectual e espiritual elevando toda a família e, principalmente, as nossas esposas.

5. Viver segundo o que Deus deseja para nós

Deus vê-nos como seus filhos e Ele conhece todo o nosso potencial. Nós devemos honrar essa confiança e viver segundo esse potencial. Quando aceitamos Jesus Cristo como nosso Salvador e Redentor, nós escolhemos vê-lo como o nosso maior exemplo.

Quando seguimos o exemplo do Senhor nós iremos, com toda a certeza, viver de uma forma mais cristã – seja fora de casa, mas principalmente dentro de casa, com as nossas esposas e família.

6. Viver generosamente e graciosamente

Essas duas palavras podem ser traduzidas numa simples frase: “Sejam amorosos com as vossas esposas”. Devemos ser carinhosos, devemos dedicar nosso tempo e coração a ela. Olhar sempre para o melhor que ela tem e ter sempre bons pensamentos sobre ela. Devemos descobrir sempre formas de abençoá-las, apoiar e até surpreender.

7. Viver da mesma forma que vemos que Deus vive para nós

Ou seja, devemos ponderar a nossa conduta e atitude, principalmente em relação à nossa esposa e filhos, comparando com a forma como Deus lida conosco. Ele não nos pressiona, não é mau, nem mesquinho, nem egoísta. Pelo contrário, Deus é amoroso, ele é misericordioso, carinhoso, gentil, positivo, e pensa o melhor de nós mesmo quando nós estamos a fazer asneiras. Ele é tudo isto em relação a nós mesmo quando nós não estamos fazendo as melhores escolhas, e isso deve ser um alerta para a nossa conduta – Será que eu tenho essa atitude em relação à minha esposa?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: