Deixe um comentário

Apocalipse – A Mulher e o Dragão 2ª Parte

Vejamos as características desse personagem:
a) Grande – isto prova que o inimigo, como “deus deste século” (2 Co 4.4), possui grande força (Lc 10.19).
b) Vermelho – numa tradução literal, “avermelhado como fogo”, o que representa a sua atuação sangüinária (Cf. Ap 6.4; Jo 10.10). Esta cor também está associada ao pecado (Is 1.18). Nesse caso, o diabo é aquele que peca desde o princípio e induz as pessoas a pecarem (Jo 8.44).
c) Possui dez chifres – isto, analisado à luz da escatologia bíblica, representa os dez reinos que formarão a base do império anticristão: “E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão o poder como reis por uma hora, juntamente com a besta”, Ap 17.12. Leia também Daniel 7.24.
d) Tem sete cabeças com sete diademas – significam a plena autoridade que o diabo exercerá sobre os reinos da terra. A semelhança com a besta enfatiza que esta terá o poder do dragão, como se lê em Apocalipse 13.2: “… e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”.

 

e) Possui uma grande cauda – refere-se à sua astúcia e ao seu baixo caráter (Cf. Is 9.15) para levar consigo a terça parte dos anjos que não guardaram o seu principado (II Pe 2:4; Jd 6).
O diabo fracassa
No versículo 4, está escrito que o dragão “parou diante da mulher (…), para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho”, mas não conseguiu fazer mal ao menino. Desde o princípio, o inimigo lutou contra Israel, pois sabia que, neste país, nasceria o Messias. Ele não frustrou o plano de Deus (Jo 3:16; Gl 4:4,5), apesar de suas muitas tentativas:
a) Caim matou Abel, mas Sete deu continuidade à linhagem santa (Gn 4; 5).
b) Nos dias de Moisés, Faraó mandou matar os meninos israelitas, mas Deus preservou muitos com vida, inclusive o próprio Moisés, que tornou-se o libertador do povo israelita (Êx 1).
c) Saul, o primeiro rei de Israel, endemoninhado, tentou matar a Davi, pois o diabo sabia que o Messias seria descendente do trono davídico. Deus mais uma vez frustrou o plano maligno guardando a vida de seu servo (1 Sm 18.10,11).
d) O inimigo usou a rainha Atalia para matar a todos os herdeiros do trono davídico. Mas o futuro rei Joás foi escondido por sua tia, e, aos sete anos, assumiu o reinado de Judá (II Rs 11).
e) Já nos tempos neotestamentários, Herodes intentou matar o menino Jesus, mas Deus avisou os magos e, posteriormente, José, que levou o menino para o Egito (Mt 2).
f) O inimigo tentou ao Senhor, mas ouviu por três vezes a poderosa declaração: “Está escrito” (Mt 4:1-11), e foi vencido pela Palavra de Deus!
g) Numa tentativa de impedir que Jesus chegasse à cruz, o diabo procurou matá-lo antes em Nazaré. Milagrosamente, o Senhor escapou, “passando pelo meio deles…” (Lc 4:17-30).
h) Influenciou Pedro a fazer Jesus desistir de sua obra redentora, ouvindo a seguinte resposta: “Para trás de mim, Satanás” (Mt 16:22,23).
i) No Gólgota, tentou convencer Jesus a descer do madeiro (Mt 27.40-42; Lc 23.39), pois sabia do poder que há no sangue da cruz (1 Pe 1.18,19; Cl 2.14,15; Hb 2.14,15). Glória a Deus, pois todas essas tentativas diabólicas foram frustradas!
A vitória de Cristo e dos seus santos
Como dissemos na introdução deste artigo, a narrativa em foco abrange passado, presente e futuro. O versículo 5 menciona a ascensão de Cristo às alturas, após a sua vitória na cruz e a sua ressurreição para a nossa justificação: “… foi arrebatado para Deus e para o seu trono”. Mas a visão apresenta também as conseqüências dessa vitória de Cristo no futuro.
Após o arrebatamento da Igreja, haverá uma batalha no céu. Liderados por Miguel, o arcanjo (Jd v. 9; I Ts 4:16), encarregado de proteger a Israel (Dn 12:1), os anjos de Cristo prevalecerão contra os anjos do diabo: “E houve batalha no céu: Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e os seus anjos, mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus”, vv. 7-9.
Os anjos do inimigo, apresentados como a terça parte das estrelas do céu, serão lançados sobre a terra pelos anjos de Deus (v. 4). Hoje, os anjos do mal habitam as regiões celestiais (Ef 2:2; 6:12). Por ocasião da Grande Tribulação, terão uma atuação mais direta sobre os moradores da terra.
No versículo 9, o dragão é expulso das regiões celestiais: “… foi precipitado o grande dragão”. Satanás já está julgado (Jo 16:8-11), e a sua carreira está em descensão. Quando quis se igualar a Deus, foi precipitado dos céus para os ares (Is 4:12; Ef 2:2). Na Grande Tribulação, será lançado na terra (v. 12). No Milênio, ficará preso no abismo (Ap 20:1-7). E, depois disso, será lançado no lago de fogo (Rm 16:20; Ap 20:10).
Mas a precipitação do inimigo à terra trará grande prejuízo ao mundo. A tríade satânica (Ap 13; 20:10), formada por dragão, anticristo (primeira besta) e falso profeta (segunda besta), se estabelecerá com muita força: “Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo”, v. 12.
Enquanto isso haverá grande alegria nos céus (v. 12). Hoje, o diabo tem um relativo acesso à presença de Deus para acusar os seus servos (Jó 1;2; Zc 3), mas isso, então, não mais acontecerá (v. 10). Todos os santos arrebatados e os que morrerem durante a Grande Tribulação estarão diante do Cordeiro, pois “… eles venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra de seu testemunho; e não amaram a sua vida até à morte”, v. 11.
A fuga da mulher para o deserto
Na segunda metade da Grande Tribulação, o diabo perseguirá a mulher, isto é, Israel: “Quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher (…). E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para fazer que ela fosse arrebatada pela corrente”, vv. 13,15.
Os versículos 16-18, na versão Atualizada, de Almeida, que, nesse caso, traduz melhor o que está registrado no texto grego, mostram que Israel estará seguro, enquanto o inimigo ficará parado sobre a areia do mar sem poder prosseguir com seus intentos. Deus protegerá a Israel: “E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias”, v. 6.
A expressão “mil duzentos e sessenta dias” se refere à última etapa da Grande Tribulação (três anos e meio), quando o anticristo se levantará contra Israel. Este período final é apresentado como:
a) 1260 dias (Ap 11:3) – usando-se o número de 360 dias para cada ano, empregado no calendário judaico (1260 / 360), temos três anos e meio.
b) 42 meses (Ap 11.2; 13.5) – dividindo-se pelo número de meses do ano (42 / 12), temos, igualmente, três anos e meio.
c) Um tempo, tempos e metade de um tempo (v. 14; Dn 7:25; 12:7) – a palavra “tempo” corresponde a um ano, e “tempos” a dois anos. Ou seja, três anos e meio.
Como Deus protegerá a mulher
“E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente”, v.14. Estas asas de águia representam a direção de Deus (Cf. Êx 19.4), através da qual Israel será levado para um lugar seguro, onde estará protegido do dragão (Sl 27:5; 91:1,4).
O inimigo lançará uma corrente de água contra a mulher (v. 15). Na simbologia profética, águas representam reinos (Is 8:7; Ap 17:15). Isto mostra que os exércitos do anticristo marcharão contra Israel (Ap 16:12,16). Mas o Espírito do Senhor arvorará contra eles a sua bandeira (Is 59.19). A mulher também terá ajuda da terra (v. 16), isto é, dos povos que estarão ao lado de Israel (Mt 25:34-40).
Quando o remanescente de Israel estiver cercado, por ocasião da batalha do Armagedom (v. 17; Ap 16:16), o diabo terá de parar “sobre a areia do mar” (v. 18, Atualizada, de Almeida), pois o próprio Jesus virá em glória para vencer os inimigos de Israel com o assopro da sua boca e prender Satanás por mil anos (II Ts 2:8; Ap 19:19-21; 20:1-3).
Tudo isso acontecerá! Estejamos, pois, preparados para as últimas coisas e exclamemos com inteira certeza: “Ora, vem, Senhor Jesus”, Ap 22:20.

Em breve mais estudos do Apocalipse…


Créditos: Estudo cedido pelo Pastor e Conferencista Carlos Eduardo, visite o Blog: www.conferencistacarloseduardo.blogspot.com
Fiquem na Paz de Cristo Jesus

Evangelista Rildo Reis
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: