Deixe um comentário

Congresso Teen

Anúncios
Deixe um comentário

Como dominar o ciúme antes que ele destrua seu casamento

O que é o ciúme, porque ele fascina as pessoas?

O escritor e psicoterapeuta, Eduardo Ferreira Santos, autor dos livros, Ciúme – O medo da perda, Ed. Ática e Ciúme – O Lado Amargo do Amor, Ed. Gente, esmiúça todas as facetas deste sentimento complexo.

Ele define o ciúme como um sentimento complexo e um complexo de sentimentos. Existem muitas coisas envolvidas neste sentimento. Ele é na verdade um medo, aliado a uma agressividade, aliado a uma desconfiança, aliado a uma eterna dúvida. Este complexo de sentimentos chama-se ciúme.

Segundo o médico psiquiatra, Dr. Geraldo J. Ballone, na matéria: “Em questões de ciúme, a linha divisória entre imaginação, fantasia, crença e certeza frequentemente se torna vaga e imprecisa. No ciúme as dúvidas podem se transformar em ideias supervalorizadas ou francamente delirantes”.

O ciúme fascina as pessoas, pois é um sentimento intrigante, pois é visto pela sociedade sob dois aspectos distintos. Ao mesmo tempo que ele é admirado por estar associado ao amor e ao zelo, é odiado por estar ligado à posse.

Outro ponto que nos deixa fascinados em relação ao ciúme, é que por ele ser um sentimento confuso, complexo, que envolve muitos sentimentos, ficamos em dúvida se é normal sentirmos ciúme.

Desconfiança, uma vitamina para o ciúme.

A pessoa que desconfia do outro, coloca no liquidificador todos os sentimentos negativos de insegurança, de baixa autoestima, medos, incertezas e ansiedade. Fazendo assim uma potente vitamina para o ciúme. · Desta forma, acaba por desvirtuar a realidade e começa a sofrer antecipadamente como se dissesse, o tempo todo, para o outro: “Por misericórdia, não faça isso comigo!!! Não me traia!!! Não me engane!!! Não me abandone!!! Não me rejeite, não me humilhe!!! Não me troque!!! Eu sofreria tanto se isto me acontecesse que acho que seria capaz de perder a cabeça e fazer uma loucura!”.

Geralmente… na maioria das vezes, não há motivo para tanto drama, para tanta sofrência emocional. Uma vez que este ciúme do outro não se traduz em amor e benevolência, mas em rancor, confusão, mágoas e afastamento emocional da pessoa amada.

Ciúme é o medo de perder, mas perder quem?

Segundo o Dr. Eduardo: “Por trás da desconfiança um medo de perder, mas não é somente o outro em si. Porque na questão de ser traído não está se perdendo, necessariamente, o outro. Mas está se perdendo o amor próprio, o orgulho, está se ferindo o ego. O outro é um objeto de ameaça ao meu “Eu” que se sente ameaçado por alguma coisa, que possa ocorrer entre eu e o meu cônjuge.

O ciumento tem medo de perder a si próprio, perder a sua dignidade, perder o seu “valor”. Quando a confiança e a autoestima são depositadas no outro, o outro começa a ser tratado como objeto para minha satisfação e desta forma eu o desrespeito como indivíduo, pois estou lançando sobre ele uma carga que ele não foi projetado para suportar.

Em Jeremias 17:5 está escrito: Assim diz o Senhor: “Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor.”

O próprio Deus nos adverte a não depositar nossa confiança em nós mesmos, em nossa fragilidade humana, seja em nós ou no outro. A nossa confiança deve estar no Senhor que é imutável.

Note que não é para você viver desconfiado, a desconfiança, como já esclareci anteriormente, é uma vitamina para o ciúme que pode destruir o seu casamento.

O ciúme sempre se estabelece numa relação a três

Quem sente ciúme o sente em relação a uma terceira pessoa ou elemento. Uns sentem ciúme do trabalho do outro, do carro, do sucesso, etc. O ciumento sente-se ameaçado pela existência deste terceiro elemento, com quem “disputa” a exclusividade do cônjuge.

A razão porque sentimos ciúmes

É bom deixar claro a esta altura que existe o ciúme normal e o ciúme anormal. Assim como é normal sentirmos dor quando tropeçamos em uma pedra e ferimos um dedo. É normal se sentir enciumado quando há motivo real para o ciúme.

O ciúme anormal é quando não há motivos reais, apenas suposições geralmente criadas pela insegurança e baixa autoestima.

Quando temos amor-próprio e sabemos do nosso valor, jamais somos assaltados pelo ciúme doentio, só vamos sentir ciúme quando de fato houver alguma ameaça real ao bem do casamento. E neste caso é mais fácil administrar de forma equilibrada.

Quais são os níveis do ciúme?

Segundo o Dr. Eduardo, existem 3 níveis de ciúmes: O enciumado, o ciumento e o delírio de ciúme.

O enciumado: Aquela pessoa que eventualmente na presença de uma ameaça real sente o ciúme. Exemplo: estou com a minha parceira. Vamos a algum lugar e aparece a Gisele Bündchen e eu fico encantado por ela e a minha parceira fica enciumada e, vice-versa, se eu estou com ela, e aparece o Reynaldo Gianecchini. Se eu percebo que possa rolar uma paquera entre eles, vou ficar enciumado. Este “ficar enciumado” é natural.

O ciumento: Vive em estado de ciúme o tempo todo. Se o parceiro demora, fica preocupado, mas não preocupado com o parceiro, mas se ele está com outro ou com outra, aonde foi que não avisou. Então, vai vasculhar bolsa, bolsos, armários, celular, pertences e cartas. Neste caso, a pessoa já possui características neuróticas.

O delírio de ciúme ou Síndrome de Otelo: O terceiro tipo, o chamado ciúme patológico, também conhecido como “Síndrome de Otelo”, em referência ao personagem shakespeariano que sofria deste mal, pode levar a pessoa a cometer atos de extrema agressividade física, configurando aqueles casos que recheiam as crônicas policiais de suicídios e homicídios passionais. A pessoa se comporta da seguinte forma:

“Você fez a barba hoje porque vai encontrar com a outra.” “Você chegou atrasado(a) porque com certeza você foi encontrar com o(a) outro(a).”

A pessoa sai de uma desconfiança para uma certeza delirante.

Qual a diferença entre inveja e ciúme?

A inveja é a irmã gêmea do ciúme. O ciúme é o medo de perder e a inveja é o desejo de ter o que o outro tem. O ciumento tem o medo de perder o que ele já tem. O invejoso se sente mal por não ser o proprietário.

A inveja também pode potencializar o ciúme. O ciumento pode sentir inveja do terceiro elemento na relação, como por exemplo. A ciumenta pode sentir inveja do corpo de uma top model ou o ciumento pode sentir inveja de um homem rico que às vezes tem contato com sua esposa.

Como dominar o ciúme antes que ele destrua o seu casamento?

Para que você consiga dominar o ciúme antes que ele acabe com o seu casamento é importante em primeiro lugar entender que é normal sentir ciúme em certas ocasiões quando há motivo real.

Em segundo lugar, verifique qual é a sua reação diante do ciúme. Você se controla? Você dá escândalo? Ou você age com agressividade?

Olhar para si, se autoanalisar, vai lhe ajudar a identificar se o seu ciúme é normal ou anormal. Se for normal, você manterá o equilíbrio e esperará o momento certo para dialogar com o seu cônjuge com honestidade sobre os seus sentimentos.

Como expressar este precioso fruto?

Primeiro você precisa confiar a sua vida ao Senhor Jesus. Em segundo lugar, você precisa cultivar uma vida de oração e meditação nas escrituras. Em terceiro lugar, comece a adorar a Deus com ações de graças.

No momento em que o fruto do espírito for cultivado em sua vida, você vai adquirir inteligência emocional para reagir com equilíbrio em uma situação que lhe provoque ciúme. Você conseguirá dialogar com o seu cônjuge para entender o que está acontecendo para juntos tomarem decisões benéficas ao casamento.

Você também terá sabedoria para não dar ouvido a fofocas. Quem dá ouvidos a fofocas, começa a tratar o outro com desrespeito. Isso causa uma desconexão emocional, que torna o casamento insuportável.

Saiba que um ataque de ciúmes nunca vai resolver a situação, ao contrário, vai acabar piorando o relacionamento.

Se você é do tipo que gosta de provocar ciúme, meu conselho é: Por favor, pare de fazer isso, pois cultivar ciúme é o mesmo que riscar um fósforo perto de uma bomba de combustível, pode não acontecer nada, dependendo da proximidade, pode causar uma grande explosão e o seu casamento se tornar um inferno.

Fonte: https://familia.com.br/13109/como-dominar-o-ciume-antes-que-ele-destrua-seu-casamento

Deixe um comentário

LIDERAR: uma obrigação dos pais e mães

image

Podemos ser líderes bons ou maus, positivos ou negativos, construtivos ou destrutivos. A grande responsabilidade que assumimos ao nos tornarmos pais e mães é a de sermos um bom exemplo para nossos filhos.

Embora os filhos, ao crescerem, possam escolher seguir ou não nosso exemplo, nos primeiros anos de vida a nossa “luz” é a luz mais forte que brilha sobre eles. Certamente muita coisa do que ensinarmos para os filhos ficarão gravadas para sempre em seus subconscientes.

Como ser um bom líder?

Nada cai do céu, a não ser a chuva e pedaços de satélites, por isso é preciso esforço pessoal para se aprender a ser um bom líder, embora existam alguns líderes natos, isto é, já nascem líderes (bons ou maus).

Aqui estão alguns traços de caráter de um BOM líder

1. Constância

Ninguém consegue ser 100% do tempo constante, mas uma pessoa que muda de ideia e de comportamento toda hora, não cria confiança nos liderados.

Um líder deve ser constante nas coisas que fala e faz, para criar um ambiente onde possam florescer a tranquilidade e a segurança.

2. Lealdade

Se prometer alguma coisa, cumpra. Se falar alguma coisa, assuma. Não coloque ninguém “na fogueira”. Seja o primeiro a assumir os próprios erros, se os cometer, sem colocar a culpa nos outros. Peça desculpas, se errar.

Continue lendo »

Deixe um comentário

Se você já pensou UMA destas 9 coisas, o seu casamento está em PERIGO

  • 1574500460Você quer uma coisa, ele outra. Você concorda, ele discorda. Casamento é lidar com negociações diariamente.

    A convivência gera conflitos. Os problemas do dia a dia também são um fator que influencia o relacionamento do casal. Haverá situações difíceis que os dois terão que enfrentar juntos. Haverá momentos de dúvida, frustração e tristezas. O mais importante é não deixar esses problemas influenciarem o relacionamento com o seu cônjuge.

    Se algo aconteceu, não culpe o seu relacionamento, não queira desistir de uma vida juntos por causa de uma briga que aconteceu em uma noite qualquer. Cada caso é diferente, mas é importante lutar pelo relacionamento, resolver os problemas juntos e focar no que realmente importa e nas coisas boas do seu relacionamento. Os problemas podem afastar ou aproximar os casais, isso depende do que você escolher.

    Os pensamentos podem parecer inofensivos, mas eles não são. Os pensamentos são apenas o começo de tudo. Controle os seus pensamentos que você assim controlará as suas ações.

1. Não vou aguentar viver assim por muito tempo

Você não precisa viver assim, seja o que for que lhe incomode. Se o problema for com o seu cônjuge, converse com ele. Lembre-se que você não pode obrigar ninguém a mudar, mas você pode influenciar as ações de alguém mudando a forma como você age com a pessoa. Seja qual for a situação, se una com o seu marido para resolver o problema.

2. Só não me separo por causa dos filhos

Vocês já foram felizes a um ponto do casamento. Você não deve manter essa infelicidade por causa dos filhos. Tente reascender o amor e o companheirismo. Não acredite de que seus filhos são a razão de continuar casada. Os filhos são os frutos de um relacionamento, mas não a razão desse relacionamento.

3. Preferia não ter nem o conhecido

Você realmente acredita nisso? Esse pensamento é de quem está apenas enfatizando nas coisas negativas do relacionamento. Evite esse tipo de pensamento, porque ele só levará à discórdia no seu casamento.

Continue lendo »

1 comentário

A promessa mais difícil de se cumprir no casamento

Só-tem-valor-aquilo-que-você-valoriza-600x300

Casamento não é um bilhete premiado, e felicidade não é um presente que vem embalado com o casamento.

O casamento é uma conquista diária, que requer de ambas as partes o comprometimento e o cuidado com a família; já a felicidade tem a ver com a escolha de ser grato pela vida e da capacidade de se amar primeiro para depois desejar o amor de seu companheiro.

A promessa

O educador Jeffrey Holland disse: “A principal característica do amor é a lealdade.”

Prometemos ser fiéis em todas as circunstâncias e as promessas do casamento, quando mantidas se perpetuam para a eternidade. Ser leal é ser digno da confiança do cônjuge todos os dias; e se houver esta lealdade, os casais encontrarão força suficiente para suportar qualquer coisa, porque possuem a convicção plena de que não estão sozinhos, que o seu companheiro os ama com amor verdadeiro.

Uma história de amor e lealdade

Um marido de 35 anos ao contar sobre sua doce e amada esposa, demonstra este tipo de amor verdadeiro. Ele relatou:

Continue lendo »

Deixe um comentário

A mente e as doenças: até que ponto adoecemos a nós mesmos?

Atualmente ninguém mais duvida que podemos ficar doentes devido ao stress, ou por sentimentos de culpa, problemas financeiros e familiares, ou por sentirmos ódio de alguém, remorso, ou até mesmo por pensarmos negativamente de forma persistente.

O poder da mente é grande: tanto para o nosso sucesso ou fracasso, para a saúde ou doença.
Porém, nem todas as doenças são psicossomáticas: uma fratura exposta, por exemplo, não é,certamente, uma doença psicossomática (ou produzida pela mente)!

Mahatma Gandhi, disse que “As doenças são os resultados não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos”.

Exemplos de doenças provocadas por nossos atos: uma pessoa que bebe tem muita probabilidade de contrair uma cirrose; quem fuma, pode desenvolver câncer de garganta ou de pulmão, ou outras enfermidades – incluindo impotência.

Doenças que podem ser provocadas pela mente (ou ter sua origem na mente) incluem entre outras: gastrite, úlceras, asma, colite, pressão alta, fibromialgia, bronquite, etc.

Até Madre Tereza de Calcutá sabia que mente e emoções podem provocar ou agravar doenças, ou não permitir a cura, quando disse: “Há medicamentos para toda a espécie de doenças, mas, se esses medicamentos não forem dados por mãos bondosas, que desejam amar, não será curada a mais terrível das doenças: a doença de não se sentir amado”.

Continue lendo »

Deixe um comentário

Ansiedade: 5 maneiras em que você é afetado

 
A ansiedade é considerada, atualmente, um dos transtornos emocionais mais comuns do mundo. De alguma forma e, em alguma intensidade, todos nós já passamos por momentos de ansiedade. Entretanto, quando a ansiedade começa a se tornar um hábito, ela pode desencadear um mal-estar, físico ou psíquico, gerado por uma preocupação excessiva.

Vivemos diariamente bombardeados por informações e cobranças de todos os tipos. E, esse excesso de informações acaba desencadeando o sofrimento por antecipação, que por sua vez, gera a ansiedade. As pessoas ansiosas sofrem antecipadamente ou têm medo de situações que ainda não se concretizaram e esse processo acaba esgotando toda a sua energia.

Se você anda muito cansado, nervoso, com constantes dores de cabeça, preste atenção. Sua ansiedade pode estar atrapalhando sua rotina e exigindo alguns cuidados. Para você ficar atento, listamos 5 maneiras que a ansiedade pode afetar sua vida. 
1. Sono

Uma das características mais marcante da ansiedade é o excesso de preocupação com o futuro. Uma pessoa que está sempre ligada aos seus problemas e as suas obrigações acaba sobrecarregando o seu sistema nervoso o que vai manter o corpo em estado de alerta para encontrar as respostas que ele procura. Assim, ainda que a pessoa esteja extremamente cansada, ela terá dificuldade na hora de adormecer.

2. Problemas com alimentação
Quando a pessoa está sempre ansiosa, a sua relação com a alimentação fica prejudicada. Algumas pessoas tendem a desenvolver anorexia ou bulimia nervosa, ou seja, por medo de ganhar peso ou de não ter o corpo ideal, acabam restringindo de forma exagerada a sua alimentação ou sentindo-se culpada após cada refeição.
Outras pessoas, apesar de não desenvolverem nenhum distúrbio alimentar mais sério, acabam descontando na comida a ansiedade e o excesso de preocupação. Dessa forma, ou come mais do que deveria, ganhando alguns quilinhos extras, ou simplesmente esquece de comer, já que o seu pensamento está sempre ocupado com seus problemas.

3. Relacionamentos
A ansiedade exagerada pode atrapalhar seu relacionamento de diversas maneiras. Seja por causa de dinheiro, de ciúmes ou insegurança. A tendência é que quanto maior for a nossa ansiedade, mais iremos cobrar do nosso parceiro, e isso só vai prejudicar a relação. Além disso, a ansiedade pode atrapalhar a intimidade do casal, pois uma pessoa ansiosa está tão preocupada com o que precisa ser feito ou resolvido que dificilmente conseguirá relaxar e se envolver o suficiente para curtir momentos de prazer junto com seu parceiro.
4. Concentração
A ansiedade tira a concentração do agora e coloca o foco da pessoa totalmente voltado para o futuro. Existe uma necessidade de tentar encontrar soluções e respostas para situações que ainda não aconteceram. Quando a nossa atenção está voltada para o futuro, as atividades do presente ficam prejudicadas. As pessoas ansiosas tendem a ser desatentas, não conseguem focar sua atenção no momento em que estão vivendo e, por esse motivo, constantemente têm lapsos de memória.
5. Saúde
Quando estamos ansiosos todo nosso metabolismo acelera causando reações em nosso organismo. Por isso, se a ansiedade se tornar um hábito, ela pode trazer consequências para a nossa saúde. Em longo prazo, um metabolismo acelerado, oriundo de uma ansiedade crônica, gera um esgotamento que acaba resultando em manifestação de doenças psicossomáticas como a enxaqueca, gastrite, fibromialgia e até mesmo algumas disfunções cardiológicas.
Mas lembre-se que você é o responsável por suas decisões. Enquanto a depressão é o excesso de passado, a ansiedade é o excesso de futuro. Se você quiser viver em paz consigo mesmo e gozar de uma boa saúde, o melhor caminho é escolher viver no presente da forma mais plena possível.

%d blogueiros gostam disto: